Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2010

My Dream

...........my dream.....!!!


Ohh Life is bigger..... It's bigger than you And you are not me...
The lengths that I will go to.... The distance in your eyes...
Oh no I've said too much ....I set it up

That's me in the corner

That's me in the spotlight ..Losing my religion
Trying to keep up with you...And I don't know if I can do it
Oh no I've said too much ..I haven't said enough

I thought that I heard you laughing
I thought that I heard you sing
I think I thought I saw you try

Every whisper...Of every waking hour I'm ...choosing my confessions
Trying to keep an eye on you ...like a hurt lost and blinded fool, fool

Oh no I've said too much ...I' ve set it up
Well, Consider this, Consider this, The hint of the century
Consider this,..this words..

That brought me to my knees ...failed
What if all these fantasies ...come... flailing around
Now I've said too much
I thought that I heard you laughing
I thought that I heard you sing
I think I thought I saw you try

But tha…

Nosso Espaço Infinito

Eu poderia viver recluso numa casca de noz e me considerar rei do espaço infinito....
Shakespeare - Hamlet, Ato 2, Cena 2
Na Ordem LaCaves tem-se a proposta de liberação da sexualidade humana do constrangimento moral tradicional, isso é equivalente a assegurar que nada indecoroso, mal ou desgraçado possa provir disto. A impressão que se passa é a de não se apoiar em outra coisa além do intelecto humano,sua racionalização e na vivência biocentrica fazendo com que a dádiva possa surgir naturalmente. A proposta não reconhece nenhum outro constrangimento sobre o sexo mais que o que poderia existir numa limitação natural para ingerir alimentos.

Dos rituais

Existiam rituais sexuais pagãos, como o Hieros Gamos, que data de mais de 2.000 anos,
significando casamento sagrado, onde era exaltado o poder reprodutor feminino. Neste ritual,
homens e mulheres, vestidos opostamente de preto e branco, com sapatos dourados, máscaras
andróginas e segurando globos dourados, ficavam entoando cânticos ao redor de um casal que
efetuava um ato sexual. Tal ritual, porém, estava para além do erotismo, era um ato espiritual.(Psicanálise & Barroco em revista. v.4, n.2:, 7-23 dez. 2006)

Hipocrisia que genes são responsáveis por ela

A hipocrisia é o ato de fingir ter crenças, virtudes e sentimentos que a pessoa na verdade não possui. A palavra deriva do latim hypocrisis e do grego hupokrisis ambos significando a representação de um ator, atuação, fingimento (no sentido artístico). Essa palavra passou, mais tarde, a designar moralmente pessoas que representam, que fingem comportamentos. Um exemplo clássico de ato hipócrita é denunciar alguém por realizar alguma ação enquanto realiza a mesma ação. (Wikipédia)

O papel do Amor na Ordem

O amor na Ordem é marcado por uma urgência que o coloca à parte das rotinas da vida
cotidiana, com a qual, na verdade, ele tende a conflitar. O envolvimento emocional com a ordem é invasivo – tão forte que pode levar o indivíduo, ou os indivíduos, a ignorar as
suas obrigações habituais. O amor vivido na dádiva tem uma qualidade de encantamento que pode
ser religiosa em seu fervor. Tudo no mundo parece de repente viçoso, embora talvez ao
mesmo tempo não consiga captar o interesse do indivíduo que está tão fortemente ligado ao
objeto do amor, a vivencia do ÊXTASE. O amor visto pela ordem é especialmente perturbador das relações pessoais, em
um sentido semelhante ao do carisma; arranca o indivíduo das atividades mundanas e gera
uma propensão às opções radicais e aos sacrifícios.
Uma vida comunal onde os talentos devem ser ofertados e junto ao altar das dádivas seus membros exaltam o prazer como manifestação profunda de nossa condiçào Divina.

O casamento complexo

O casamento complexo tende a não esvaziar-se de apetites, para consolidar-se em uma nebulosa de sensações domésticas: e tomando uma palavra trazinda para a Ordem por valentina o
bem-querer misturando-se à elevação do espírito, à devoção e à piedade Ressusita-nos a cada nava descoberta de como o AMOR se manifesta dentro de nós.

Presente de Valentina

Pela tua paixão sou Envolvida
Pelo teu tesão sou Excitada
Pelos teus beijos sou Invadida
Pela tua língua sou Enlouquecida
Pelos meus meios sou Lambida
Pelo teu sexo molhado sou Penetrada
Pelo teu anseio sou Possuída
Pelo teu sugar sou Desvairada
Pelos teus olhos sou Engolida
Pelo teu intenso gozar sou Lambuzada
Pelo infinito do teu Amor sou Ressuscitada...

SOBRE A DÁDIVA

“ao receber alguém estou
me fazendo anfitrião, mas também crio, teórica e
conceptualmente, a possibilidade de vir a ser hóspede
deste que hoje é meu hóspede. A mesma troca
que me faz anfitrião, faz-me também um hóspede
potencial. Isto ocorre porque “dar e receber” implica
não só uma troca material mas também uma
troca espiritual, uma comunicação entre almas.”

O ponto de ruptura

“.... O ponto de ruptura que lhe proponho não é entre monogamia e poligamia, mas entre monogamia e uma relação complexa, onde pertencer a um homem seja tão intenso em sua alma como recebê-lo em teu jardim ...”

O Erotismo visto pelo Feminino

teu corpo seja brasa
e o meu a casa
que se consome no fogo
um incêndio basta
pra consumar esse jogo
uma fogueira chega
para eu brincar de novo.
"Teu corpo seja brasa", Alice Ruiz
“Charneca em Flor”
apresenta a equivalência entre os dados dos diferentes sentidos: os perfumes, as cores,
os sons numa verdadeira festa sinestésica. Neste poema o equilíbrio mulher-natureza é
estabelecido numa perfeita harmonia entre o místico e o erótico:
Caem as folhas mortas sobre o lago;
Na penumbra outonal, não sei quem tece
As rendas do silêncio... Olha, anoitece!
- Brumas longínquas do País do Vago...
Veludos a ondear... Mistério mago...
Encantamento... A hora não esquece,
A luz que a pouco e pouco desfalece,
Que lança em mim a benção dum afago...
Outono dos crepúsculos doirados,
De púrpuras, damascos e brocados!
- Vestes a terra inteira de esplendor!
Outono das tardinhas silenciosas,
Das magníficas noites voluptuosas
Em que eu soluço a delirar de amor...

Bodas de Sangue

Eu dormirei a seus pés


para guardar os seus sonhos.


Nua, quieta, olhando o campo,


igual a uma cadela.


Isso é o que sou! Só de vê-lo,


um fogo já me consome. (Lorca, 1984, p. 127)

Mistica e Sensualidade

“... Vi nele uma comprida lança de ouro e sua ponta parecia ser um ponto de fogo. Parece que ele a enterrou muitas vezes em meu coração e perfurou minhas entranhas! Quando retirava a lança, parecia também retirar minhas entranhas! E me deixar toda em fogo do grande amor de Deus. A dor era tão grande que me fazia gemer, porém a doçura dessa dor excessiva era tal que eu não podia pensar em ficar livre dela...” Passagem de Santa Teresa

A Abelha e a flor

"Ide pois aos vossos campos e pomares,

e lá aprendereis que o prazer da abelha

é de sugar o mel da flor,

mas que o prazer da flor é de entregar o mel à abelha.

Pois, para a abelha,

uma flor é uma fonte de vida.

E para a flor

uma abelha é mensageira do amor.



E para ambas, a abelha e a flor,

dar e receber o prazer

é uma necessidade e um êxtase".

Sobre o Amor

O Amor
E alguém disse:
Fala-nos do Amor:

- Quando o amor vos fizer sinal, segui-o;
ainda que os seus caminhos sejam duros e difíceis.
E quando as suas asas vos envolverem, entregai-vos;
ainda que a espada escondida na sua plumagem
vos possa ferir.

E quando vos falar, acreditai nele;
apesar de a sua voz
poder quebrar os vossos sonhos
como o vento norte ao sacudir os jardins.

Porque assim como o vosso amor
vos engrandece, também deve crucificar-vos
E assim como se eleva à vossa altura
e acaricia os ramos mais frágeis
que tremem ao sol,
também penetrará até às raízes
sacudindo o seu apego à terra.

Como braçadas de trigo vos leva.
Malha-vos até ficardes nus.
Passa-vos pelo crivo
para vos livrar do joio.
Mói-vos até à brancura.
Amassa-vos até ficardes maleáveis.

Então entrega-vos ao seu fogo,
para poderdes ser
o pão sagrado no festim de Deus.

Tudo isto vos fará o amor,
para poderdes conhecer os segredos
do vosso coração,
e por este conhecimento vos tornardes
o coração da Vida.

Mas, se no…

O banho da Noiva

O banho cerimonial da noiva tem sua origem na crença milenar de que o amor não tem outro desejo se não o de atingir a sua plenitude, cabe a noiva diluirdes no amor e serdes como um riacho que canta sua melodia para a noite de seu homem. A noiva que se banha faz como as deusas. Portanto o seu rosto e seu corpo serão lindos como aqueles das deusas, a água utilizada para o banho deve ser corrente e envolta da noiva, flores e ervas aromáticas devem ser lançadas no sentido de enaltecer o sagrado corpo dessa mulher que agora passa também a ser uma Deusa. Só assim ela poderá dar-se a seu Homem nas suas núpcias como sendo ofertada a ele como sua Mulher e sendo assim, seu Homem e Senhor, deverá ostentar uma comprida lança de ouro e sua ponta parecendo um ponto de fogo. Deverá adentrar teu cálice muitas vezes até que seu ventre seja tomado pelo líquido sagrado da fertilidade! Quando retirar a lança, parecerá também retirar suas entranhas e deixará a noiva toda tomada no fogo do amor de Deus. C…

Teu crespo jardim

Em teu crespo jardim, anêmonas castanhas Detêm a mão ansiosa: Devagar. Cada pétala ou sépala seja lentamente acariciada, céu; e a vista pouse, beijo abstrato, antes do beijo ritual, na flora pubescente, amor; e tudo é sagrado Carlos Drummond de Andrade